28 fevereiro 2013

Dia 3: Descreva sua relação com o pai de seu filho.

Eu e o Maicon nos conhecemos no ultimo ano escolar, eu tinha 17 e ele 20. Estamos juntos a 7 anos, sendo 1 ano e 10 meses de namoro, 1 ano e 11 meses de noivado e 2 anos e 9 meses de casados.

Como ele passava os finais de semana comigo, tiramos a fase de adaptação do casamento de letra. Já conheciamos bem um ao outro, os defeitos, as qualidades, as manias. Temos um ponto em comum: somos muito bobos, o pior é que quem vê nem diz, mas dentro de casa é uma palhaçada só.

Com 5 meses de casados, um susto: estavamos grávidos. A gravidez foi totalmente inexperada, mas aos poucos a gente foi se acostumando, passamos a colocar o Junior como prioridade e assim seguimos.

Dai, o pequeno nasceu. Nosso sentimento aumentou um pelo outro, passei a admira-lo como homem. Nos desafios como pais ao abrir mão de algumas coisas, como o emprego que ele estava quando engravidei. Apoiei ele em sair da empresa que estava pra conseguir algo melhor, pelo futuro do nosso filho. E alcançamos nosso objetivo.

Aqui o "tudo que é seu, é nosso" funciona muito bem. Não tem meu ou seu e sim nosso! Contamos sempre com a opinião, a ajuda um do outro. O defeito que eu não tenho ele tem, a qualidade que eu não tenho ele tem e vice versa. Um participa dos planos do outro, porque se fazemos é em prol da família que temos.

Se já tivemos crise, já brigamos? E como! Faz parte do crescimento do relacionamento, tanto para o lado pais, como para o lado casal. Já ficamos de mal, já discutimos por coisas totalmente sem importancia e por outras muito sérias. 

O que posso dizer é que crescemos como pessoa, como casal, como PAIS. O Junior faz com que a gente suba degraus a cada dia, ele nos trouxe o desafio de nos mantermos vivos um para o outro. Ele nos uniu mais, nos fez crescer mais, nos deu mais alegria.

Somos um casal como tantos outros. Nos amamos e nos queremos bem. Com a consciência que temos um ao outro e ao nosso homenzinho.


27 fevereiro 2013

Dia 2: Descreva 3 medos reais que você tenha e explique como se tornaram medos.

Com sinceridade, não gosto de admitir medo. Tudo o que eu declarei que tinha medo aconteceu, portando, digo que tenho receio.

Receio 1: Algo contecer com o Junior.
Só de pensar que algo possa acontecer com ele me dá uma dor no peito, um vazio, um desespero. Por isso, peço a Deus que o proteja e guarde sempre.

Receio 2: Perder um ente querido para a vida.
Na boa, quem é que gosta de perder alguém que ama? 

Receio 3: Altura, água e me sentir presa.
Gente eu tenho pavor de lugares muito altos. Quanto a água é em relação a me afogar (bate na madeira). Me sentir presa: elevador, entrar num lugar apertado, uma abraço que me imobilize. Começa a me dar falta de ar, desespero...

26 fevereiro 2013

Dia 1 - Liste 20 coisas aleatórias sobre você

1. Falo pelos cotovelos.
2. Quero ter mais um filho, melhor filha.
3. Não gosto de gente dando pitaco sem eu pedir (e quem gosta?).
4. Dizem que sou palhaça (vai entender...).
5. Defendo minha família com unhas e dentes. Mexeu com eles, mexeu comigo literalmente!
6. Não gosto de gente que ostenta uma vida que não tem.
7. Meu primeiro namorado foi aos 14 anos.
8. Não tenho medo de barata que NÃO voam.
9. Das que voam sim!
10. Mudo de humor com facilidade. As vezes, me acho bipolar.
11. Estou me readaptando a andar de salto. Afinal, foram quase 3 anos sem andar neles.
12. Meus pais se separam quando eu tinha 9 anos e encarei muito bem a situação. Sei os 2 lados da história e eles são meus melhores amigos;
13. Há quase 6 anos não comemoro meu aniversário. Pois é, mas esse ano eu já falei que quero um dia só pra mim!
14. Amei sentir as dores do parto #loka! Me senti viva e mulher pra caramba!
15. To perdida como mãe agora do que quando o Junior nasceu.
16. Não sou de me abater com qualque dificuldade.
17. Sempre penso no ônus de tudo. Marido acha que sou pessimista, mas na realidade gosto de estar preparada pras situações.
18. Tenho um filho ligado no 220volts e isso me edeixa triste as vezes.
19. Me sinto frustrada como mãe em certas partes.
20. Não sou ciumenta e controladora com o marido.

25 fevereiro 2013

30 coisas que meus filhos devem saber sobre mim

Vi este desafio no blog da Lilica e resolvi fazer. Não somente para meus filhos, mas pra vocês leitores deste blog.

A partir de amanhã começarei. Mas antes aqui vai a lista das 30 coisas.

1 - Liste 20 coisas aleatórias sobre você
2 – Descreva 3 medos reais que você tenha e explique como se tornaram medos.
3 – Descreva sua relação com o pai de seu filho.
4 – Liste 10 coisas que gostaria de dizer para você mesma, aos 16 anos, se você pudesse.
5 – Quais são as cinco coisas que fazem você mais feliz nesse momento?
6 – Se você tivesse direito a três pedidos, quais seriam?
7 – Qual seria seu trabalho dos sonhos e por que?
8 – Liste cinco paixões que você tem.
9 – Liste 10 pessoas (ou menos) que influenciaram você e descreva como.
10 – Descreva o seu momento mais embaraçoso.
11 – Descreva 10 coisas que irritam você.
12 – Descreva um dia normal em sua vida.
13- Qual é a parte mais difícil em crescer?
14 – Descreva 5 fraquezas e 5 forças que você tem.
15 – Descreva como você conheceu seu marido/pai de seu filho/namorado (enfim) e como ou porque se apaixonou por ele.
16 – Quais são suas 5 maiores conquistas?
17 – No que você gostaria de ser bom?
18 – Qual foi a experiência mais difícil pela qual você passou?
19 – Como você se sentiu ao se tornar mãe/pai?
20 – Descreva 3 memórias significantes da sua infância.
21 – Descreva sua relação com seus pais
22 – Como você se vê em 5 anos? Em 10? Em 15?
23 – Liste 5 hobbies e por que você os ama.
24 – Qual é a coisa favorita e a menos favorita em ser mãe/pai?
25 – Descreva as diferenças entre a sua criação/educação e a que você proporciona a seus filhos.
26 – O que você acha que há de mais errado no mundo, em como as pessoas vivem e pensam?
27 – Se você pudesse escolher um lugar para viver, qual seria e por que?
28 – Como você acha que é visto pelas pessoas?
29 – Quais são suas esperanças e seus desejos para o futuro?
30 – Liste 10 coisas pelas quais você gostaria de ser lembrado.


22 fevereiro 2013

O pior foi pressentir...

É minhas queridas, to sumida! Mas o motivo é de dar raiva, meu pc tinha dado 'pau'. Fiquei 1 mês sem ele, cheia de trabalho e entregas pra fazer. Perdi vendas, enfim... Dei meu jeito e agora no fim do mês vou trocar algumas peças dele pra não ficar mais na mão.

O título do post é uma experiência que eu jamais tinha vivido. Eu pressenti o que iria acontecer, isso foi a pior parte porque eu não tinha como evitar. Senta, pega um café (chá, água, sei lá rs) que a história é longa, mas traz algo de suma importancia pra vocês.

Em dezembro, marido teve a idéia de viajarmos no carnaval e expos isso pra família dele. Todo mundo abraçou a causa. Um dos tios dele está trabalhando na cidade para onde fomos e foi ele quem conseguiu alugar uma casa para nós.

Até então contavamos que o Maicon iria dirigindo um dos carros que uma das tias dele tem (ela tem 2). Só que o carro quebrou e teve que ir pra oficina faltando 15 dias para a viagem e devido o imprevisto eu fiquei 'sem' ter onde ir. Ele iria dirigindo o carro de uma outra tia, a Gi, o marido dela é recem habilitado e ainda não tem confiança de pegar vias como Dutra, Av Brasil (são vias de "alta velocidade" aqui no Rio) nesse iriam ela, o Maicon, a filha e o marido dela. Sobraram 2 carros, o da Cissa outra tia dele e o da Carol que é prima. Porem, era necessário um carro com duas vagas extras por causa do Junior que iria na cadeirinha. O carro da Cissa já estava "cheio" alem dela e o marido iria o filho e a nora mais as malas, portanto, fora de cogitação. Sobrou o da Carol, que tinha as duas vagas.

Quando o Maicon falou "amor você vai com o Ronan" (marido da Carol, que por sinal tá gravida) meu coração gelou, senti um aperto no peito. Os dias foram passando e aquele aperto de que algo podeira acontecer continuou.

Um dias antes da viagem eu comecei a arrumar as malas e aquele aperto ainda persistia. Cheguei até a comentar com a minha mãe que não queria ir com ele porque não sabia como ele dirigia. Pensei até em desistir de viajar!

Pois bem, chegou o dia D, o horário de partida estava marcado para meia noite de sexta feira por conta do transito mais tranquilo. Coloquei as coisas de ultima hora que faltavam na mala, arrumei o pequeno, tirei umas baguncinhas pra quando voltar poder descançar e fomos para a casa da Carol, de ontem todos sairiam juntos. Chegando lá, marido instalou a cadeirinha no carro, fizemos uma oração e partimos rumo a São Pedro da Aldeia.

Durante a viagem eu só pensava besteira! "E se a gente bater?" "Minha mãe, meu pai, meus irmão, meu marido, MEU FILHO... Eu não posso morrer, eles precisam de mim!"  "Se a gente bater eu vou segurar a cadeirinha pra protejer o Junior."

O Ronan foi o guia durante toda a viagem por já conhecer o caminho. Ele cortou caminho pela Serrinha (assim ele dizia) para não pagarmos, pasmem, quase 40 reais de pedágio na Via Lagos. Mas com isso ganhamos umas meia hora de viagem.

Essa serrinha é uma estrada calma, com pouca ou nenhuma iluminação, com uma paisagem bem tranquilizante: arvores, arburtos, mato! Paramos num posto de abatecimento para que o Almir, pai da Carol, pudesse abastecer o carro dele. Quando retomamos o rumo da viagem eu e ela começamos a falar sobre gravidez. Pouco depois eu resolvi relaxar o pensamento, achei que era coisa da minha cabeça, que eu tinha que parar de pensar tanta asneira. Falei que iria tirar um cochilo e fechei os olhos. Quando eu começo a pegar no sono, acordo com uma barulho e quando olho o parabrisa do carro era só mato. "To caindo num barranco!" Foi o que eu pensei. Logo depois o Ronan tentou estabelecer o carro, mas isso fez com que o mesmo fizesse um zig zag na pista. Ele parou o carro e eu quase tive um taquicardia. Sai imediatamente, passando mal! O Maicon já estava do meu lado me amparando, pedindo que eu tivesse calma, perguntando se estavamos bem.

Se coloquem no meu lugar, ter um mal pressentimento, pensar zilhões de coisas pra no fim das contas tudo aquilo que eu tanto sentia acontecer! A Gi também passou mal, foi um puta susto! A lataria no lado do carona ficou destrida: teve 2 furos, um deles perto do tanque, arranhões por toda a lateral, retrovisor quebrado e parachoque danificado. E nós? Nós saimos ilesos PELA GRAÇA E MISERICORDIA DE DEUS! Estavamos todos de sinto, o Junior muito bem seguro, dormia como um anjo e só acordou porque o carro tinha parado de andar. O acidente nem fez cosquinha no moleque!

A causa: o Ronan piscou mais vagarosamente! Foi isso, um pisco! Sorte o carro estar a 70 km/h, sorte ele não ter cochilado e menos ainda dormido, sorte que não veio nenhum carro na contramão, sorte que na volta vimos que tinhamos batido numa grade de contenção! Se não fosse ela só Deus sabe o que teria acontecido! Acho que só o Junior sairia ileso, nós bateriamos com a cabeça nos vidros das portas e sabe lá Deus o que seria.

Conto isso como um testemunho e que vocês possam ouvir a voz do coração. Já senti isso outras vezes e ouvi e nada me aconteceu. Mas desta vez...

A viagem foi maravilhosa! Junior estranhou e sentiu falta de casa, teve prisão de ventre, falta de apetite, enjoo... Mas todos estamos bem!

Ahhh, esqueci de contar, o Maicon VIU o Ronan sair da pista. Imaginem o desespero dele de ver que a vida do filho e da esposa corria risco? Na hora de seguirmos viagem eu vi o medo nos olhos dele como nunca antes.

Mas Deus é fiél e guarda os seus filhos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...