30 março 2011

Extra, Extra!!!!


A ansiedade está tomando conta de mim. Cada dia que passa é sinal de que o tempo está diminuindo e que logo, logo vou ter meu filho comigo. Fico imaginando como será seu rostinho, seus dedinhos, sua pele, seu cheiro, tudo... E isso só faz aumentar o turbilhão de coisas que está na minha cabeça. Vou colocar as ultimas notícias pra vocês e peço desculpas por estar postando tão pouco. Mas a organização das coisas para a chegada me consome.


Obra
Só falta a troca dos pisos. Eu e marido esperamos conseguir fazer antes do nascimento do Junior. A casa ficou beeeeem mais arejada. Com relação ao vazamento do telhado, foi tirado (pasmem) dois carrinhos de sujeira. Até uma cueca tinha!


Chá de Fraldas
É dia 10 (sem ser esse domingo agora o outro). Já está tudo esquematizado, só falta eu resolver as brincadeiras que vão ser feitas. Fora isso está tudo ok!


Maternidade
Quero muito ter meu baby no HCE. É um hospital de primeira e vou ter direito a acompanhante. Aqui na minha cidade é o maior jogo de empurra. Fora que tem uma que vive morrendo bebês por conta das más condições. Lá no HCE não é enfermaria. É uma suíte com banheiro e direito a acompanhante. Minha próxima consulta é dia 15. Daí toda a papelada do pré natal vai ficar guardadinha, junto com meus documentos, na minha mala pra que não seja nada esquecido.


Enxoval
Já está tudo comprado. Só faltam a banheira e o cesto farmacinha (aquele que vem com potes de cotonetes e algodão e onde guardamos os medicamentos do bebê). As roupas já estão lavadas, passadas e guardadas.

Móveis do Junior
O montador veio na terça da semana passada. Todas as roupinhas do meu picurruxo estão no seu devido lugar. Todos os dias eu abro o “guarda-roupinha” dele e fico olhando todos os bodies, macacões, meias, sapatinhos e fico imaginando aquele corpinho miudo e gordinho dentro de cada peça. O berço vai ser entregue e montado amanhã.


Mala Maternidade
A do Junior já está arrumada. Só falta o pacote de fraldas. Assim que passar o chá de fraldas, vou colocar um lenço umedecido e uma pomada de assaduras. Já a minha ainda faltam alguma coisas. Na realidade falta tudo! As únicas coisas que comprei foram o sutiã de amamentação e calcinhas com o cós mais alto e as laterais mais largas. Faltam o chinelo, os produtos de higiene pessoal e a camisola que é a que mais tenho dificuldade. Nunca usei, sempre gostei muito de babydoll. As que gostei são de seda, mais não achei muito adequadas para o hospital por serem um pouco curtas. O que vocês acham compro um babydoll ou as camisolas que gostei? Se eu achasse um robe eu até compraria a camisola.
De resto está tudo bem, minha barriga desparou. Esses dias até achei engraçado porque um motorista de ônibus perguntou se eu passava na roleta rs. Além disso, todos eles me esperam sentar para dar a partida. É bom ser notada como gestante, pena que está sendo no fim da gravidez.

Com relação ao parto estou bem tranqüila. Não me assusto com as histórias que ouço e guardo bem as dicas que me dão. Por falar nisso, vou lista-las pra que ainda não sabe.

- A bolsa não doe quando estoura;

- As contrações começam como simples cólicas menstruais e vão se intensificando com o passar das horas;

- A força deve ser feita com a boca fechada para o bebê não subir e essa mesma força é como a de fazer o número 2;

- A pior fase da dor é quando realmente entramos em trabalho de parto;

- É feita uma lavagem (via anus) para não evacuarmos;

- Quando nos colocam no soro as dores ficam mais forte (eles dizem que é só soro, mas todas acham as minha “informantes”, digamos assim, dizem que tem algum “remedinho” pra causar contrações);

- A agulha que estoura a bolsa não é como uma agulha de costura, como eu pensava. Pelo que me falaram ela mede cerca de 10cm;

- Me falaram pra ir depilada para a maternidade. Por conta disso já faço a tricotomia;

São coisas que parecem bobas mas que na hora fazem toda a diferença. Não me assusto com nenhuma história que ouço. Pelo contrário, tento tirar proveito ao máximo pra quando chegar a minha vez eu estar “ciente” das coisas.

Bem meninas é isso. Assim que der volto com mais novidades.

18 março 2011

30 Semanas

Tamanho do bebê: O bebê está com peso de aproximadamente 1360g e sua medida, da cabeça ao bumbum é de 27cm. Sua medida total é de 38cm.

Desenvolvimento do embrião: Em meninos, os testículos movem-se de perto dos rins em direção ao escroto. Em meninas, o clitóris está relativamente à vista pois ainda não foi coberto pelos pequenos lábios. O que só ocorrerá perto do final da gravidez. A cabeça do bebê está crescendo, e o crescimento e desenvolvimento cerebral está bastante acelerado neste período. Praticamente todos os bebês já reagem à sons até a trigésima semana. Outros destaques desta semana:
  • O bebê está rodeado de cerca de 700 mililitros de líquido amniótico, mas esse volume diminuirá à medida que ele cresce e preenche o útero. O neném consegue agora distinguir entre a luminosidade e a escuridão e pode  até mesmo acompanhar uma fonte de luz;
  • Depois de nascer, seu neném manterá os olhos fechados uma grande parte do dia. Quando os abrir, reagirá a alterações de luz, mas não conseguirá ver nada a mais de alguns centímetros de distância. Como você estará com ele o máximo possível no colo, essa será a posição perfeita para que o bebê consiga vê-la;
  • As unhas estão finalmente prontas, provocando aos seus pais grande temor e angústia na primeira vez que terão que cortá-las, ficará mais fácil com o tempo, nós prometemos! Em adição, a medula óssea está trabalhando a pleno vapro na produção dos glóbulos vermelhos. Confiem em nós, essa é uma boa nova;
  • O seu bebê também está se preparando para ficar na posição do parto normal, isto é, de cabeça para baixo. Na sua próxima consulta, se o seu médico fizer uma ultra-sonografia, ele lhe dirá em qual posição o bambino está. Caso o seu bebê esteja na posição pélvica (de cabeça para cima com os pés para baixo), você não deverá se preocupar, pois ainda haverá 10 semanas para ele mudar de posição;
  • Seu bebê não ganhou muito peso ou altura, esta semana, pois a maior parte da energia tem sido canalizada para o cérebro.

Mudanças em seu corpo: A necessidade nutricional do bebê durante o terceiro trimestre é altíssima. Mantenha os olhos bem abertos para a sua alimentação e não desista nem se canse de comer alimentos saudáveis e ricos em proteínas, principalmente agora. Vitamina C, ácido fólico, ferro e cálcio (aprox. 200 mg é depositado no esqueleto de seu bebê à cada dia) formam a sua lista de prioridades. Durante o terceiro trimestre é quando o esqueleto do bebê se modifica e seus ossos tornam-se mais duros e o cérebro, músculos e pulmões alcançam a maturidade.

15 março 2011

Colocando o Papo em Dia...

Gente, miiiilll desculpas pelo sumiço. Estou num corre corre tremendo por conta do fim da gravidez! Vou explicar tudo por partes e você vão entender!

Reforma
Minha casa está em reforma para a chegada do Junior. Como minha casa é de telha e está com agumas goteiras rs, vamos trocar essas abençoadas para começar a montar os móveis dele. Também vou fazer uma copa poruqe minha casa é uma casca de ovo e precisa de mais um espaço, até porque logo, logo tem gente nova no pedaço!

Os Móveis do Picurruxo
Como falei antes, estamos no processo de reformas pra montagem dos móveis. Recebi uma benção de um berço completaço e baita barato! O guarda-roupas já foi comprado e entregue, só falta o montador vir. Assim que acabar obra, vamos buscar o berço e deixar tudo arrumadinho nos miiiiiiinniiiimos detalhes! rs

Enxoval
Por conta da vinda do montador, a compra das coisas que faltam está sendo adiada. Assim que ele vier, eu e papai vamos comprar o que falta pra deixar a mala maternindade arrumada. (Obs.: Hoje comecei a lavar algumas roupinhas, assim não fica muita coisa pra última hora.)

Chá de Fraldas
Será dia 10 de abril. Estou super empolgada e papai também. Tudo agora gira em torno do Junior. Estou pensando e pesquisando algumas brincadeiras pra dar uma animada na galera. 

Consulta
Hoje tive consulta e tomei um baaaita esporro. Meu médico passou um antibiótico para uma infecção urinária e eu não tomei por um motivo bobo: não sabia que receita médica de antibiótico é valida por 5 dias. No dia que fui comprar esse prazo já tinha passado. Mas hoje mesmo eu comecei a tomar a alegria e felicidade da nação!

Fim de Gestação
Começaram as dores nas costas, visitas ao banheiro na madrugada e tantas outras mais. Meu companheiro de cama é um travesseiro que fica entre minhas pernas. Pro lado que eu me virar ele me acompanha! rs

Bom meninas por enquanto é isso. Tá rolando um plobleminha na minha mãe. Sabe quando o diabo não tá satisfeito com a felicidade da gente e envia um, pois é aqui envou vários. Mas tenho Fé no meu Deus! A melhor justiça é a dos Céus! O que posso fazer é horar e pedir a Deus por eles. 

Vou colocar a foto do convite do chá pra vocês verem. Fui eu mesma que fiz, se alguém quiser é só me falar que eu faço pra vocês também com todo prazer. Vou aproveitar e colocar as semanas em dia. Beijooo!

Convite do Chá





29 Semanas


Tamanho do bebê: O bebê está com peso de aproximadamente 1250g e sua medida, da cabeça ao bumbum é de 26cm. Sua medida total é de 37cm.
 
Desenvolvimento do embrião: O bebê abre os olhos, vira a cabeça e pode até seguir com os olhos o movimento de uma luz forte. O corpinho continua acumulando gordura e ele está ficando à cada dia que passa mais fortinho e mais bonitinho. Suas unhas também já estão presentes. Ter um bebê prematuro é assustador, sem dúvida. Mas aqui está um motivo para relaxar: Devido aos impressionantes avanços da tecnologia médica, se o seu bebê nascer esta semana, ela terá  90 por cento de chances de sobrevivência, o que é uma grande notícia. Outros desenvolvimentos impressionantes:
  • O cérebro do bebê pode  controlar a respiração e a temperatura corporal dele. Seu bambino, ou bambina, é capaz de tossir e as habilidades de sucção foram aperfeiçoadas. Seus seiso que se cuidem!
  • A pele do nenémi está parecendo menos enrugada conforme ele ganha peso. Ele está começando a parecer mais como um modelo da Pampers ou da Johnson's Baby. Ele está agora se preenchendo da gordura branca que dará energia e servirá de isolante térmico. infelizmente ela não  funciona da mesma forma nos adultos!
  • E falando de energia, o seu coelhinho da Energizer, está pegando fogo estes dias, ou melhor, está com a pilha toda! Com certeza você sentirá uma boa porção de chutes, socos e cotoveladas, principalmente quando estiver deitada;
  •  Esta semana o seu bebê tem um pouco mais de 15 polegadas de comprimento, mais o menos o tamanho da tela do monitor do seu computador.

Mudanças em seu corpo: O útero pode estar agora até 10,2cm acima do umbigo. O crescimento do seu útero nas útimas 4 semanas foi de aproximadamente 4cm. Você provavelmente já está pensando em quando será que essa gravidez vai terminar. Se você olha para trás, parece que já faz uma eternidade desde que você vestiu aquele vestido justo ou aquele short jeans que você tanto gostava. Uma das dúvidas mais comuns ao olhar para o guarda-roupas é a dúvida de quando será possível vestir-se da maneira que você costumava vestir-se antes.
Tente não pensar muito nisso e concentre-se mais em sua lista para o bebê , o que, certamente inclui a escolha de um nome e a escolha do pediatra de seu filho. Umas das mudanças físicas que podem ocorrer também com você está nos seus pés. Se ainda não ocorreu, brevemente ocorrerá. Você sentirá que os seus pés estão quase um número maior do que o de costume. Procure não prejudicar os seus pés, usando calçados leves e bem confortáveis que não impeçam a boa circulação sanguínea para essa parte do corpo.


06 março 2011

Explicando o Inexplicável


Como posso amar alguém que eu se quer vi? Como posso querer proteger e dar a vida por alguém que eu não conheço? Que sentimento é esse que crescer e eu não sei descrever como é? Porque esses pés e essas mãos tão pequeninas mexendo dentro de mim, fazem com que eu me sinta tão capaz?

Essa mesma capacidade me faz querer amadurecer, me faz querer ser sábia. Essa capacidade faz com que eu sinta tamanho poder, que por esse alguém eu chego até o céu se ele quiser.

Como explicar um sentimento que não tem fim, que não tem palavras? Porque esse alguém é tão importante assim pra mim? Porque por esse alguém vivo e morro? Porque ele nem nasceu e eu tenho um sentimento tão egoísta de quere-lo só pra mim?

São coisas que passam pela minha cabeça e eu simplesmente não sei explicar. Só posso dizer que agora sim eu sei o que é amor, agora sim eu me sinto viva. Nada do que vivi se compara a sensação de ter o meu filho no meu ventre e pensar que logo, logo ele estará nos meus braços.

Não sei como explicar a sensação de ter um ser tão indefeso e pequenino. Um ser que me faz querer ganhar o mundo. Um ser que eu imagino ser branco como o leite, de cabelos lisos e negros. O mesmo ser que, dias antes de saber que o gerava, sonhei com ele sendo alimento no seio que eu espero saciar a sua fome.

Eu poderia ficar horas e horas tentando descrever o que sinto. Poderia passar dias e noites tentando explicar os sentimentos e sensações. Mas, se eu fizer isso, vou perder cada movimento que ele der. E eu quero parar tudo, quero que o mundo pare de girar para ver o que ele faz dentro de mim. Porque depois que ele estiver nesse mundo, tudo vai passar tão rápido, que a única coisa que vou poder dizer é: Valeu a pena, valeu muito a pena!

05 março 2011

Momento: Grávida Pode...?? Sua Vida

Dormir de Barriga Para Cima? E de Bruços?
 Grávida pode sim dormir de barriga para cima, sem o risco de enrolar o cordão. No último mês de gestação, no entanto, como o útero fica muito pesado, grande parte das gestantes sente-se extremamente desconfortável nesta posição, pois o útero comprime a veia cava, causando sintomas de estase -- falta de ar e mal-estar.

Em trabalho de parto muitas vezes orienta-se que a grávida deite sobre o lado esquerdo, pois o sangue flui melhor pelo cordão umbilical e para o bebê durante as contrações nesta posição, mas isso é válido durante o trabalho de parto. Antes dele e suas contrações rítmicas, não é necessária essa preocupação.

A gestante também pode dormir de bruços até o quinto mês de gestação, sem a preocupação de "amassar o bebê". Após o quinto mês, o mais provável é que a mulher não consiga dormir de barriga para baixo, porque a posição fica desconfortável, devido ao tamanho da barriga.

Caso uma mulher no sexto mês ou mais de gestação acorde e perceba que está de bruços, não há motivo para se preocupar. O bebê está extremamente protegido dentro do útero e não se machucará nessa posição.

A posição em que as grávidas no final da gestação mais se sentem confortáveis para dormir é deitada sobre o seu lado esquerdo, porém o que vale é deitar-se da maneira em que você se sentir mais confortável, mesmo que seja sobre o seu lado direito. Certamente esta será também a melhor posição para o bebê.

No último trimestre, por causa da azia, da congestão nasal ou da falta de ar comuns nesta fase, pode ser que você prefira dormir numa posição mais sentada, cheia de travesseiros em volta. Faça como se sentir melhor, pois nada substitui uma boa noite de sono.





Carregar o Filho mais Velho no Colo?
Tudo depende do peso da criança e também do tempo de gestação da mãe, para que a coluna não fique sobrecarregada. De modo geral, os especialistas recomendam que as grávidas evitem carregar pesos acima de 10, 12 quilos, especialmente depois da 30a semana.

Se for segurar o filho no colo, já que é mesmo de partir o coração ter que dizer não a uma carinha chorosa, o ideal é que você dobre os joelhos e mantenha a coluna reta ao pegá-lo, em vez de se encurvar.

À medida que o útero cresce, os músculos abdominais deixam de dar apoio aos músculos das costas, o que deixa a operação de carregar alguma coisa cada vez mais difícil.

Caso esteja difícil pegar seu filho mais velho no colo, capriche no chamego quando estiver sentada, e convide-o a deitar a cabeça no seu colo.

Se ele for pequeno, procure ensiná-lo a ajudar você nas manobras do dia-a-dia, como subir no cadeirão ou entrar e sair do carrinho ou da cadeira do carro, e reforce que é preciso haver sempre um adulto ao lado para escorá-lo. Ele vai se sentir mais independente e sua coluna vai ganhar um respiro.

Em alguns casos especiais, pode ser que o obstetra dê instruções específicas para não pegar peso. Se for uma ordem expressa do médico, não tem jeito: resta ter um pouco de paciência e esperar a luz verde, depois do parto, para dar muito colo ao mais velho. Ele vai precisar.

Amamentar?
Não é necessário interromper a amamentação em caso de gravidez, já que não existe nenhuma contraindicação médica para isso.

O que acontece é que a ação dos hormônios redirecionados agora para o desenvolvimento do feto pode diminuir a produção do leite, que tende a estar menor mesmo nesta fase em que seu filho já come também outros alimentos.

"Nesta idade, a criança provavelmente está mamando mais pelo conforto, e a mãe precisa se nutrir muito bem para conseguir dar um pouquinho de leite", afirma Durval Anibal Daniel Filho, pediatra do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

"Muitas crianças optam por não mamar mais quando a mãe engravida", explica a obstetra Eleonora F. Stocchero Fonseca. Acredita-se que o sabor do leite mude por influência dos hormônios da gestação. "A mulher não deve se sentir culpada por isso, é um processo natural."

A amamentação pode até causar cólicas na mulher devido às contrações uterinas, mas são contrações que não prejudicam o bebezinho que está dentro do útero. Mas não custa nada mencionar para o médico que acompanha seu pré-natal que você está amamentando o filho mais velho.

Em caso de ameaça de parto prematuro, o obstetra pode recomendar abstinência sexual e evitar a manipulação dos mamilos, o que impediria a alimentação.

Mas, por outro lado, tem muita gente que acha importante manter a amamentação pelo maior tempo possível, e o próprio governo brasileiro recomenda o aleitamento no peito até os 2 anos de idade.

E então fica a pergunta, para quem decide manter o aleitamento: depois que o bebê nascer, vai dar para continuar amamentando o mais velho? "Fisiologicamente pode-se amamentar até o parto e amamentar duas crianças de idades diferentes ao mesmo tempo, mas pessoalmente deve-se avaliar as consequências desta opção", lembra Eleonora.

Segundo ela, é preciso levar em conta o ciúme que a divisão do peito pode despertar no filho mais velho. E a mãe pode ficar extremamente desgastada com o esforço de amamentar duas crianças, além de existir a chance de ela se culpar por não poder dar a mesma atenção para o filho mais novo que deu para o filho mais velho.

Caso vocês prefiram desmamar o filho mais velho e estejam com dificuldades, podem ler nosso artigo sobre o desmame.

Usar o Celular à Vontade?
A resposta mais curta para essa pergunta é que é provavelmente seguro usar telefones celulares na gestação. As pesquisas indicam que não há riscos à saúde no curto prazo. No entanto, não é má idéia ter um pouco de cautela, já que os celulares são uma tecnologia relativamente nova, o que impossibilita certezas absolutas sobre efeitos de longo prazo.

Na China, por exemplo, muitas mulheres acreditam que o celular é prejudicial à gravidez, e chegam até a deixar de usá-lo enquanto o bebê não nasce.

A verdade é que os celulares emitem baixos níveis da chamada radiação eletromagnética não-ionizante, também presente em televisões, computadores, fornos de microondas e fontes naturais de energia a que somos expostos diariamente. A radiação não-ionizante é muito mais leve do que a ionizante, emitida por radiografias, máquinas de radioterapia e tomografias computadorizadas, por exemplo.

Todo aparelho de celular é classificado segundo os níveis de radiação eletromagnética que emite. Esse nível de absorção específica (SAR, na sigla em inglês) reflete a quantidade máxima de energia absorvida pelo seu corpo ao usar um desses telefones. Quanto maior o SAR do seu telefone, mais radiação o seu corpo estará absorvendo. Em alguns lugares do mundo, os fabricantes são obrigados a divulgar o número no próprio manual do telefone ou no site da empresa.

No Brasil, já há regras para que as empresas também divulguem aos consumidores o nível dos aparelhos, mas isso ainda vem sendo implementado. Se você estiver na dúvida, o melhor a fazer é ligar para o serviço de atendimento a clientes do fabricante do seu celular e pedir a informação.

A recomendação da Comissão Internacional para a Proteção contra Radiação Não-Ionizante (ICNIRP) é que o limite de SAR seja, no máximo, 2 W/kg (watts por quilo).

Na prática, a quantidade de energia emitida por seu telefone depende de quão forte é o sinal. Quanto mais forte ele for, menos energia o aparelho precisa para se comunicar e, consequentemente, menor a proporção de SAR. Assim sendo, uma maneira de reduzir o nível de radiação a que você se expõe é somente usar o telefone quando o sinal estiver forte. O uso de dispositivos para falar no celular sem as mãos pode reduzir o nível de radiação para sua cabeça, mas, por outro lado, pode aumentá-la para o resto do corpo -- algo a se considerar em estando grávida.

Os especialistas no assunto acreditam que a radiação não-ionizante não deve ser prejudicial ao feto, porém você pode reduzir o seu nível de exposição ao falar no celular das seguintes formas:

• use o aparelho o menos possível e apenas quando não tiver outra alternativa; mande mensagens de texto ou use uma linha fixa sempre que puder

• faça ligações breves

• tente evitar usar o telefone se o sinal estiver fraco; procure uma localização melhor para fazer a ligação (geralmente em ambientes externos ou perto de uma janela)

• considere utilizar algum acessório para falar sem as mãos e aumentar a distância entre o telefone e sua cabeça ou tente não segurá-lo próximo demais ao ouvido; o viva-voz, quando possível, é a melhor opção.


E lembre-se também de que o uso do celular enquanto se dirige (mesmo sem usar as mãos) diminui a velocidade de suas respostas na direção, independentemente da gravidez. Isso quer dizer que os riscos de um acidente são maiores, tanto para fazer uma ligação como para receber.

Ficar Perto de Gente Que Fuma?
Mesmo que não fumem, as gestantes devem procurar ao máximo evitar ambientes onde haja pessoas fumando, porque as toxinas do tabaco acabam entrando na corrente sanguínea através da aspiração da fumaça. Quanto mais tempo se passa perto de alguém fumando, maior é a quantidade de toxinas que são absorvidas.

O chamado fumo passivo durante a gestação aumenta o risco de o bebê nascer um pouco abaixo do peso, o que, por sua vez, pode levar a problemas de aprendizado e até, nos casos mais extremos, paralisia cerebral, segundo pesquisas.

O que se sabe também é que bebês que foram expostos à fumaça de cigarro quando estavam na barriga da mãe podem correr mais risco de sofrer da síndrome da morte súbita infantil (Sids, na sigla em inglês), uma condição caracterizada pela morte aparentemente inexplicável de uma criança saudável.

Por isso, não tenha vergonha de se afastar de fumantes ou de pedir que não acendam o cigarro dentro da sua casa ou perto de você.

E, se você é quem fuma, saiba que a gravidez até pode ajudar a largar o cigarro.
Trabalhar Sentada o Dia Inteiro?
Passar muito tempo sentada é ruim sim, porque dificulta a circulação sanguínea e pode acabar piorando uma série daqueles efeitos colaterais chatos da gravidez, como o inchaço dos pés, além da temida dor nas costas.

"Procure levantar a cada, pelo menos, 40 minutos, para caminhar um pouco", aconselha a obstetra Daniela Maeyama, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

A médica recomenda também que a grávida massageie as pernas, use meia elástica com leve compressão, se der, e "procure elevar a perna, na parte da panturrilha, para favorecer o retorno venoso", isto é, o caminho do sangue nas veias de volta ao coração.

Pela lei brasileira, em casos extremos, funcionárias que tenham a carteira assinada podem pedir um atestado médico para que mudem de função se houver algum risco maior à sua saúde ou à do bebê em desenvolvimento. Converse com seu médico.

04 março 2011

28 Semanas

Tamanho do bebê: O bebê está com peso de aproximadamente 1100g e sua medida, da cabeça ao bumbum é de 25cm. Sua medida total é de 35cm.


Desenvolvimento do embrião: Alguns especialistas acreditam que com 28 semanas de gestação os bebês comecem a sonhar. Sonhar com o quê? Ninguém faz a menor idéia. Mas o cérebro está bem ativo à essa idade. As ondas cerebrais podem ser notadas em testes específicos e os tecidos cerebrais estão bem desenvolvidos.
Por volta desta semana também poderá ser possível sentir soluços do bebê. Pode parecer estranho no começo ou você nem venha a pensar em soluço quando sentí-los, você poderá achar que são os chutinhos que vinha sentindo até então mas logo você perceberá a diferença. Não há com o que se preocupar, os soluços são normais e duram pouco tempo. Os cabelos da cabeça do bebê também estão crescendo mais e mais. Sobrancelhas e cílios estão presentes. Você deve ter notado também que o bebê está ganhando bastante peso, especialmente se você compará-lo com 11 semanas atrás quando ele pesava apenas 100g e agora já está com mais de 1kg. Somente nas últimas 4 semanas, o seu peso dobrou. Conforme o grande dia se aproxima, o seu bebê está ficando pronto para ir de encontro à luz no fim do túnel. Outros destaques desta semana:
  • Os olhos do seu bebê estão parcialmente abertos, e agora ele já pode piscar. Imagine-o piscando pra você! Os olhos dele tem cor. Pode não ser a cor definitiva, especialmente se estiver cinza claro ou azul. Os olhos normalmente não definem um tonalidade final até nove meses após o nascimento. Então, quando sua sogra diz que o bebê tem os olhos dela, você pode informá-la educadamente que eles provavelmente irão mudar em breve;
  • Alguns especialistas acreditam que com 28 semanas de gestação os bebês comecem a sonhar. Sonhar com o quê? Ninguém faz a menor ideia. Mas o cérebro está bem ativo à essa idade. As ondas cerebrais podem ser notadas em testes específicos e os tecidos cerebrais estão bem desenvolvidos;
  • Seu bebê está bem gordinho em comparação a algumas semanas atrás.


Mudanças em seu corpo: Agora que o bebê está cada vez mais perto de sua caixa toráxica, você poderá começar a sentir que sua respiração está um tanto mais curta. Essa é uma sensação que começa agora e vai se estender até ao final da gravidez. E o pior é que ela não estará sozinha. Você poderá começar a sentir também dores nas pernas, devido ao aparecimento ou ao agravamento de varizes. E a sua barriga, cada vez maior, poderá dificultar para uma série de pequenas atividades do dia-a-dia como, levantar-se, deitar-se, abaixar-se, dirigir, e por aí vai... O útero encontra-se agora à 8cm acima do umbigo e, você deve ter ganhado até agora por volta de 8 à 10 kg.

02 março 2011

Momento: Grávida Pode...?? Bebida

Grávida pode tomar alguma bebida alcoólica?
Ninguém sabe ao certo o quanto o consumo de álcool durante a gestação pode afetar o desenvolvimento de um bebê, por isso o Ministério da Saúde aconselha que mulheres grávidas abstenham-se das bebidas alcoólicas nesse período.

Alguns médicos, no entanto, adotam uma postura mais flexível, permitindo que suas pacientes tomem, em ocasiões especiais, uma taça de vinho ou um copo de cerveja.

"Vale o bom senso", afirma a médica Rosiane Mattar, professora e integrante da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

No Reino Unido, as gestantes têm parâmetros mais claros para seguir se decidirem beber, apesar das advertências em contrário tanto do Royal College of Physicians (Instituto Real de Médicos) como do Royal College of Obstetricians and Gynaecologists (Instituto Real de Obstetras e Ginecologistas). Este último aconselha, por exemplo, que, se a mulher quiser mesmo beber, a quantidade ingerida durante a gestação não ultrapasse uma ou duas doses de álcool, uma ou duas vezes por semana.

O fato é que se desconhece qual é o consumo seguro de álcool durante a gravidez. Seria difícil fazer ensaios clínicos para testar os efeitos reais dos diversos níveis de álcool sobre o feto, e além disso as mulheres que bebem durante a gravidez muitas vezes não revelam esse fato aos médicos.

É preciso também levar em conta que o efeito da quantidade ingerida provavelmente difere de mulher para mulher, uma vez que cada organismo metaboliza o álcool de maneira diferente. Sabe-se, porém, que os efeitos dele são maiores em mulheres que fumam, consomem muita cafeína e alimentam-se mal.

A questão do consumo de álcool na gestação é tão séria que, em algumas regiões dos Estados Unidos, uma mulher pode até ser presa por colocar em risco a vida do feto se for constatado que ela bebeu demais.


Quais são os riscos comprovados?                                                                                                      Os pesquisadores já chegaram à conclusão de que o consumo regular de álcool afeta o bebê dentro do útero. Quando uma gestante bebe, o álcool atinge rapidamente o feto através da corrente sanguínea e da placenta.


Mulheres que tomam mais de seis doses de álcool por dia correm o risco de ter filhos com
síndrome alcoólica fetal. Crianças nascidas com essa síndrome sofrem de retardo mental e do crescimento e de distúrbios de comportamento, e apresentam malformações cardíacas e na face.

As mulheres que consomem mais de dois copos de bebidas alcoólicas por dia durante a gestação têm mais chances de dar à luz bebês com problemas de fala e linguagem, de concentração e de hiperatividade, se comparadas àquelas que não bebem. Tais características são conhecidas como efeitos alcoólicos fetais -- uma consequência menos grave, mas ainda assim bastante séria, da ingestão de álcool durante a gravidez.


Quanto é uma dose ou unidade de álcool?

Uma unidade de álcool equivale a:
• 240 ml de cerveja (uma latinha contém 350ml)
• uma taça pequena de vinho
• um cálice de vinho do porto
• uma dose de um destilado como cachaça, vodca ou uísque

É seguro beber ocasionalmente?

Os especialistas não sabem o efeito que alguns drinques, por um curto espaço de tempo no início da gestação, podem ter sobre o feto. Mas eles aconselham precaução e sugerem que, ao descobrir que está grávida, a mulher pare mesmo de beber, ou pelo menos diminua o consumo de álcool para as quantidades descritas acima. Alguns médicos chegam a recomendar que as mulheres cortem as bebidas alcoólicas já quando começam a planejar uma gravidez.

Vale lembrar que um único "porre" isolado durante a gestação pode ser prejudicial ao bebê, mesmo que a mulher não beba mais nada no resto dos nove meses. Se você passou da conta sem saber que estava grávida, não precisa se desesperar. Converse com seu obstetra.



Como posso substituir o álcool?

Se evitar ou diminuir as bebidas alcoólicas parece difícil demais, tente substituí-las por cervejas não-alcoólicas ou coquetéis sem álcool. Experimente água com gás com um pouquinho de limão ou hortelã, e se for a uma festa que tiver bar de caipirinha, aproveite para pedir um drinque diferente sem álcool. Use a criatividade para não sentir vontade.

A doutora Mattar lembra que o "álcool é calórico e também compromete o ganho de peso adequado da grávida". Ela recomenda que, durante a gestação, além de água, as mulheres tomem sucos naturais.
Você pode experimentar também praticar outras atividades prazerosas e saudáveis, como massagens, caminhadas ou exercícios leves.

Peça a solidariedade do seu parceiro para que ele não beba enquanto você estiver grávida, assim você não se sentirá tentada.

Caso receie ter problemas com excesso de bebida, converse abertamente a respeito com seu médico ou solicite a indicação de um especialista no assunto. Ou, para conseguir ajuda confidencial em sua região, ligue para o serviço Viva-Voz da Secretaria Nacional Antidrogas, no telefone 0800 5100015, e descubra o Centro de Atenção Psicossocial mais próximo de você. Você também pode procurar entidades como os Alcoólicos Anônimos, que atendem 24 horas por dia pelo telefone 11 3315-9333.


Tomar Vinho nas Refeições?
Sim, o risco existe. O consenso entre os médicos brasileiros, norte-americanos e da OMS (Organização Mundial da Saúde) é que só NÃO há risco de o álcool afetar o bebê durante a gravidez se a mãe não tomar nada de álcool.

De acordo com o professor de psiquiatra da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Dartiu Xavier da Silveira, o risco de consequências graves do álcool para o bebê cai consideravelmente quando o consumo é de menos de duas doses de bebida alcoólica por semana, mas existe mesmo assim.

Por outro lado, diz ele, mesmo entre mulheres que consomem bastante álcool, o risco de o bebê sofrer prejuízos, como a grave síndrome alcoólica fetal, é calculado em cerca de 45 por cento.

"Cada organismo reage ao álcool de uma maneira diferente", explica o psiquiatra, que coordena um programa de atendimento a dependentes químicos na universidade, o Proad. E ninguém sabe que jeito é esse.

O que se sabe é que o consumo de álcool é arriscado durante toda a gravidez. Não adianta esperar o período de formação dos órgãos do bebê terminar. O álcool afeta a arquitetura cerebral do feto -- que é muito frágil, porque o cérebro ainda é imaturo --, além de prejudicar o funcionamento da tireóide da mulher, responsável pela regulação do desenvolvimento da criança dentro da barriga. Assim, os danos são imprevisíveis.

Às vezes, o problemas causados pelo álcool podem se revelar só quando a criança é maior, e não consegue ir bem na escola, por exemplo, ou tem problemas de relacionamento. "A síndrome alcoólica fetal pode até predispor a criança à marginalidade, porque ela tem menos oportunidades na vida", afirma o especialista Hermann Grinfeld, pediatra que estuda os efeitos do álcool durante a gravidez. Por isso, beber na gestação é um tiro no escuro.

Caso você sinta dificuldade em abandonar o hábito, converse com o obstetra ou com um profissional da área de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra, para conseguir ajuda mais especializada.

 
Consumir Alimentos e Bebidas com Cafeína?
O assunto é polêmico, mas os especialistas parecem concordar que gestantes e mulheres tentando engravidar devem evitar grandes quantidades de cafeína. A verdade é que após décadas de controvérsias e estudos apontando resultados completamente diferentes, ainda não há um consenso sobre o quanto de cafeína é seguro se consumir durante a gravidez.

A organização norte-americana
March of Dimes, voltada à promoção da saúde de bebês, aconselha mulheres a limitarem a dose de cafeína a menos de 200 mg por dia. A recomendação segue-se aos resultados de um estudo publicado em março de 2008 pelo American Journal of Obstetrics and Gynecology, mostrando que mulheres que consumiam 200 mg ou mais de cafeína por dia dobravam o risco de passar por um aborto espontâneo se comparadas às que não consumiam cafeína.

No Reino Unido, as autoridades de saúde recomendam que as mulheres não tomem mais que 300 mg de cafeína por dia, o que equivale, mais ou menos, a quatro xicrinhas de café expresso. Uma lata de refrigerante à base de cola contém entre 30 mg e 60 mg.


Nem todos os estudos apontam uma ligação entre cafeína e riscos mais elevados de aborto espontâneo, contudo, neste caso, não custa pecar pelo excesso e realmente limitar o consumo, ou então experimentar bebidas descafeinadas, principalmente no primeiro trimestre de gestação.


Qual o efeito da cafeína no meu corpo?

A cafeína é um estimulante que aumenta o ritmo cardíaco e o metabolismo, o que consequentemente afeta o bebê. Embora estresse constante não seja saudável para o feto, breves momentos -- como os que se seguem ao consumo de uma xícara de café, por exemplo -- não chegam a fazer mal. Para o bebê, a situação é semelhante a você correr para pegar um ônibus, o que igualmente afeta seu ritmo cardíaco e metabolismo.

Quem toma café todo dia sabe que ele pode ser viciante e que grandes quantidades podem provocar
insônia, nervosismo e dores de cabeça. O café é também um diurético, que faz com que o corpo perca água e outros fluidos necessários para manter uma gravidez saudável.

Chás e café também podem prejudicar a capacidade do seu corpo para absorver ferro se consumidos durante uma refeição ou em um intervalo de meia hora antes ou depois dela.


Que bebidas e comidas contêm cafeína?

A cafeína pode ser encontrada em cafés, chás, refrigerantes à base de cola e chocolates. Alguns medicamentos, incluindo aqueles para dores de cabeça, resfriados e alergia, também contêm cafeína. Não tome nenhum remédio durante a gravidez sem antes consultar o obstetra.

A quantidade de cafeína em chás e cafés pode variar bastante, dependendo da maneira como são feitos, mais fortes ou fracos. Veja a lista abaixo para ter uma idéia da proporção de cafeína em algumas bebidas e alimentos:


• 1 xícara (50 ml) de cafezinho coado = 25 mg a 50 mg

• 1 xícara (50 ml) de cafezinho expresso = 50 mg a 80 mg
• 1 xícara (80 ml) de café instantâneo = 60 mg a 70 mg
• 1 xícara (80 ml) de capuccino = 80 mg a 100 mg
• 1 xícara (180 ml) de chá coado = 30 mg a 100 mg
• 1 lata de refrigerante à base de cola = 30 mg a 60 mg
• 1 barra de 60 g de chocolate ao leite = até 50 mg

Gostaria de deixar de consumir cafeína. Alguma dica para largar o hábito?

É possível que seu próprio corpo se encarregue disso. Muitas mulheres vêem sua paixão por café desaparecer no primeiro trimestre da gestação, quando o paladar se altera e a náusea também pode incomodar.

Se você não tiver essa mãozinha da natureza, talvez vá ter que cortar o consumo aos poucos, para evitar dores de cabeça, cansaço, fraqueza e tontura. Tente diminuir pela metade seu consumo diário e veja o que acontece. Se se sentir bem, vá eliminando as outras xícaras do seu dia-a-dia.

Quanto aos chás, experimente fazê-los um pouco mais fracos ou opte de vez pelos descafeinados.

No caso dos refrigerantes, veja se consegue trocar os à base de cola pelos de guaraná ou limão (estes sem cafeína nenhuma na fórmula), ou, melhor ainda, experimente substituí-los por água com gás.


Tomar Chá de Boldo?
Apesar de suas conhecidas propriedades para combater problemas digestivos, pesquisas realizadas com animais demonstraram que o chá de boldo pode ter efeitos negativos no bebê, principalmente nos primeiros três meses, e por isso deve ser evitado por mulheres grávidas.

Os cientistas identificaram que o boldo pode provocar defeitos no bebê dentro da barriga.

Como os estudos específicos relacionando o uso de boldo à gestação são raros, é difícil determinar que dose exata do chá poderia fazer mal ao feto em desenvolvimento, daí ser necessário ter cautela máxima com seu consumo.

Especialistas preferem que até mesmo mulheres que estão amamentando não tomem chá de boldo, para evitar problemas no bebê. O mesmo vale para o chá de carqueja.

Caso você tenha tomado o chá no primeiro trimestre de gravidez, não é preciso entrar em pânico achando que alguma coisa horrível vai acontecer com seu filho. Provavelmente está tudo bem com ele, mas não deixe de mencionar para o seu médico na próxima consulta.


Tomar Chá Verde
A princípio não existe nenhuma contra-indicação para o consumo moderado (não mais que três xícaras) desse tipo de chá ou de outros à base de ervas durante a gestação, já que, quando industrializados, sua composição é bastante diluída.

"O que não pode é fazer manipulação caseira de produtos naturais", explica o ginecologista Mário Burlacchini. Ou seja, nada daquela história de ir passar o fim de semana na casa da tia no interior e trazer um monte de plantas para "fabricar" chá em casa depois, ou atacar a barraca de ervas da feira.

Alguns médicos acreditam que o chá verde, apesar de suas conhecidas propriedades benéficas à saúde devido ao seu alto teor de antioxidantes, possa prejudicar os níveis de ácido fólico no corpo da gestante. E o ácido fólico é um nutriente essencial para a prevenção de defeitos no tubo neural do bebê em desenvolvimento.

Além disso, assim como os outros tipos de chá e o café, o verde também contém cafeína, cujo consumo deve ser limitado na gravidez.

Há também mulheres que tendem a exagerar no consumo de líquidos e com isso têm menos apetite para alimentos nutritivos mais benéficos à saúde da gestante e do bebê. Por último, lembre-se de que os chás podem dificultar a absorção do ferro dos alimentos, o que pode favorecer o surgimento de anemia.

 
Tomar Chimarrão?
Apesar de sua forte tradição na Região Sul do país, é melhor evitar excessos quando se trata de chimarrão, porque ele é uma bebida feita à base de erva-mate, uma planta que contém cafeína (como o café e vários tipos de chá), além de teofilina e teobromina, outras substâncias estimulantes e não recomendadas para mulheres grávidas.

Ao consumir uma bebida com cafeína, a mulher tem seu ritmo cardíaco e seu metabolismo alterados, o que consequentemente afeta o bebê. A cafeína pode fazer com que as veias do corpo se contraiam, diminuindo o fluxo de sangue para a placenta. E, porque passa tão facilmente pela placenta e chega ao bebê, pode diretamente prejudicar suas células em desenvolvimento.

No caso específico do chimarrão, há poucos estudos sobre suas propriedades, portanto nada que evidencie cientificamente se faz bem ou mal às gestantes.

"Qualquer coisa categórica que se diga sobre isso é chute", afirma Maria Teresa Sanseverino, médica geneticista do Sistema Nacional de Informação sobre Teratógenos (Siat).

Segundo ela, "considerando-se a quantidade de cafeína, um chimarrão por dia provavelmente não vai ser prejudicial ao bebê. O que não pode é tomar o dia todo. Tem gente que começa a manhã com um chimarrão e segue tomando até de noite".


Tomar Adoçante?
Os adoçantes artificiais estão entre os ingredientes mais pesquisados presentes nos alimentos de hoje em dia. Embora tenha havido muita polêmica sobre o uso de alguns deles, no geral os estudos indicam que eles são seguros para o consumo durante a gestação em doses moderadas. O Ministério da Saúde recomenda, contudo, que grávidas não usem a sacarina.

Um dos primeiros tipos de adoçante artificial, a sacarina é bem menos usada atualmente. Ainda que não tenha sido provado que causa anomalias em fetos, estudos com animais mostraram que ela pode elevar o risco de câncer de bexiga. Quando uma futura mãe ingere a substância, ela a passa pela placenta para a corrente sanguínea do bebê. A pesquisa com macacos apontou que ela acaba sendo eliminada do corpo do bebê mais vagarosamente do que do corpo da mãe, daí a preocupação de que o feto possa, potencialmente, correr mais risco. Mas não se atormente se tiver usado sacarina antes de saber que estava grávida, já que os possíveis riscos relacionados a um pequeno consumo nas primeiras semanas de gestação são extremamente baixos.


Um outro tipo de adoçante artificial é o aspartame, encontrado em muitas refeições prontas de baixa caloria, guloseimas e bebidas. Seu consumo é considerado seguro para as gestantes, porém deve ser evitado por pessoas que sofram de fenilcetonúria (PKU), uma doença hereditária, ou que tenham alta concentração de fenilalanina no sangue. Isso porque o corpo delas não consegue decompor a fenilalanina, um aminoácido contido no aspartame e cujo acúmulo pode causar retardo mental no bebê. Para se tranquilizar, fique de olho nos rótulos dos produtos.


Mas o principal problema em relação aos adoçantes na gravidez é que as mulheres que os usam podem acabar não consumindo
alimentos e bebidas mais nutritivos. Uma gestante que tome muito refrigerante diet à base de cola, por exemplo, pode não estar bebendo quantidades suficientes de água, leite ou sucos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...